quinta-feira, 6 de março de 2008

UM ANO SEM DOM JOSÉ IVO LORSCHEITER

Thiago Alves Torres

Era o dia 05 de março de 2007. Uma tarde que trazia consigo leve e suave garoa. Era como se Deus estivesse chorando. Difícil é definir se chorava de tristeza por deixar os homens sem a presença física de Dom Ivo, ou de alegria, em dar à humanidade tão nobre intercessor.
A cidade vinha acompanhando atentamente o estado de saúde do Bispo Emérito da Diocese de Santa Maria. Apesar da gravidade de sua enfermidade e do seu histórico de saúde, repleto de complicações e melhoras repentinas e contínuas, esperava-se que o “grande” (em estatura e potencialidades) homem Ivo viria superar mais esta etapa.
Para surpresa geral, como crepitar de uma vela que entrega sua última claridade ao infinito, Dom Ivo entrega sua vida no colo de Deus. Ele, que tanto amou a vida, que muito lutou para que outros tivessem vida com qualidade e dignidade, abandona este viver e passa a residir na vida transcendental.
O badalar do sino da Catedral Imaculada Conceição e de muitas outras igrejas anuncia na diocese o inesperado. Em questão de minutos, ganha repercussão nacional e internacional. Diversas pessoas se manifestam pela passagem de Dom Ivo: Prefeito Municipal, Governadora do RS, Presidente da República, a CNBB (da qual Dom Ivo foi 2 vezes Secretário e Presidente), o Papa Bento XVI, entre tantos outros.
Durante seu velório, pessoas das mais diferentes classes sociais chegavam para prestar-lhe suas últimas homenagens. Eram gestos de profundo carinho, amizade e reconhecimento.
Hoje, um ano após este acontecimento, nos defrontamos com inúmeros desafios. Porém, o legado do “Bispo da Esperança” nos remete a grandes utopias, que aos poucos vão concretizando a tão sonhada Civilização do Amor. Prova destes sonhos tão bem sonhados por Dom Ivo são o Banco da Esperança e o Projeto Esperança/Cooesperança, que a partir da experiência de partilha e espírito comunitário refletem a possibilidade de ‘um novo mundo possível”.
Os desafios são enormes. Dom Ivo nos deixa uma palavra de ânimo, força e coragem: “Eu me permitiria dizer ao querido povo brasileiro (...) que haja sempre mais fraternidade e compreensão entre nós. Que tenhamos a alegria de ver o Brasil crescer e progredir. Este é um país imenso, com gravíssimos problemas mas ninguém pode desanimar diante dos desafios que a vida em nosso país nos propõe” (BELMONTE, Sérgio A., BARICHELO, Eugênia Mariano da Rocha. Orgs. Dom Ivo Lorscheiter, o Bispo da Esperança: sobre o passado o presente e o futuro da Igreja. Santa Maria: Pallotti, 2004).
Dom Ivo está no céu. Sejamos nós, hoje, os novos Gigantes da Esperança.

Jornal "A Razão", pg 02 - 05/03/2008.

Um comentário:

Anônimo disse...

See Here or Here